Alunos da Escola Guedes de Azevedo comemoram Dia Mundial da Água com excursão educativa

As turmas do 6º ano aprenderam o processo de tratamento da água e a retomaram valores sobre a importância da preservação e do uso consciente

Em comemoração ao Dia Mundial da Água, que foi celebrado no domingo (22), os alunos do 6º ano da Escola Guedes de Azevedo visitaram os rios Bauru e Batalha e a Estação de Tratamento da Água (ETA), na última sexta-feira (20), para analisar a qualidade e aprender o procedimento de coleta e tratamento da água.

No total, 33 estudantes participaram da excursão, monitorados pela coordenadora do Ensino Fundamental II, Sílvia Pallotta, pelos professores de geografia e ciências, respectivamente, Gilson Miguel Aude e Márcia Campos e pelo diretor da instituição e, também, idealizador do projeto, Roberto Pallotta.

A atividade é um complemento aos estudos em sala de aula e laboratório de ciências. “O principal objetivo da excursão é conscientizar as crianças sobre a importância de preservar a água. A partir dessa ideia, estudar o processo de tratamento”, explica a professora Márcia Campos.

Diário de bordo

A aventura teve início às 7h30 com a concentração dos alunos na Escola Guedes de Azevedo. Todos bem equipados com bonés, protetor solar, repelente, lápis e cadernos aguardavam a saída do ônibus rumo ao primeiro destino: Rio Bauru.

Às 8h, no Rio Bauru, o professor Gilson Miguel Aude explicou a origem da celebração do Dia da Mundial da Água, que teve início em 1992 na Conferência Mundial do Meio Ambiente, a ECO 92, onde foram discutidos assuntos a respeito da água, como preservação de mananciais, uso racional e poluição.

Depois, os professores coletaram uma amostra de água do Rio Bauru e mediram a quantidade de oxigênio, nitrito, amônia e o seu PH. A partir dos dados obtidos, os alunos analisaram a qualidade da água do Rio Bauru. “Não tem vida no Rio Bauru”, conclui a aluna Ariadne, de 11 anos.

O roteiro teve continuidade no Centro de Educação Ambiental Rio Batalha, às 9h. Os alunos assistiram a um vídeo sobre a proporcionalidade entre a quantidade de água e habitantes no mundo, conservação e utilização da água. Depois, Ana Carolina Passi Zammataro, assistente administrativa da ETA, explicou o funcionamento do hidrômetro e demonstrou as etapas do processo de tratamento da água através de uma experiência e esclareceu dúvidas.

As turmas também percorreram uma trilha, guiadas por José Antônio da Silva, chefe de captação da ETA. Elas puderam conhecer uma nascente natural, o córrego São José, a belíssima simulação da nascente do Rio Batalha e a lagoa de captação do Rio Batalha, responsável pelo abastecimento de 40% do consumo de água de Bauru.

Neste passeio-aula, as crianças também conheceram a tubulação que atua na sucção da água do Rio Batalha para seu tratamento e o canteiro de mudas cultivadas para o reflorestamento de áreas desmatadas acerca do rio.

Os professores coletaram e mediram a água do Rio Batalha e os alunos fizeram análise e comparação com os dados do Rio Bauru. Francisco, de dez anos, reconhece a importância da economia e ação contra a poluição da água “Não podemos consumir a água do Rio Bauru. Já a do Rio Batalha pode ser tratada”.

Às 11h as crianças visitaram a Estação de Tratamento da Água para compreender o processo de tratamento da água a partir da visualização do sistema. Conduzidas por Ana Carolina, elas puderam observar o funcionamento dos tanques de floculação e decantação.

A excursão encerrou às 12h com o retorno das turmas à Escola Guedes de Azevedo. Sofia, de dez anos, considera que o passeio foi muito educativo e instrutivo. “Aprendemos que o processo para limpar a água é longo, por isso, é preciso preservá-la e usá-la de forma consciente”, conta.

O projeto acontece há 20 anos e ainda se mostra fundamental e impactante a respeito do tema. “A ideia veio com a necessidade de trabalhar o tema água e conhecer os recursos da cidade”, conta o idealizador e diretor da escola, Roberto Pallotta. “Com a excursão, o aluno vê a realidade, reflete e se questiona”, complementa o professor Gilson.