Estudante de Bauru vence Olimpíada

 

"A verdadeira solidariedade começa onde não se espera nada em troca"
Os alunos do 5º ano B, da "Escola Guedes de Azevedo", estão de parabéns pela iniciativa de solidariedade com o projeto "Faça uma criança feliz", coordenado pelas professoras de Ética.
As arrecadações de roupas, brinquedos e alimentos contaram com a colaboração dos alunos dos 2º anos A e B, 3º e 4º anos B.
O projeto foi um sucesso!!! Tudo o que foi arrecadado foi doado a Instituição "Casa da Criança".
"Luiza Simões competiu com 3 mil alunos do 6º ano de todo o País em evento realizado por uma rede particular de ensino."
A timidez e o nervosismo da pequena Luiza de Oliveira Simões não são suficientes para esconder toda sua vontade de aprender. Com apenas 11 anos, a menina conquistou o primeiro lugar na Olimpíada de Conhecimentos da Rede de Ensino Pitágoras. Ela competiu com 3 mil crianças do 6.º ano do ensino fundamental de 500 escolas espalhadas pelo Brasil e conseguiu ser a melhor.
Luiza conta que ficou muito ansiosa e nervosa na hora das provas e, por isso, acabou errando algumas respostas "por bobeira", mas nada que atrapalhasse seu resultado e a comemoração.
"Eu tinha ficado muito nervosa na hora da prova e depois, toda vez que eu lembrava dela, eu chorava achando que tinha ido mal. Mas aí, quando saiu o resultado, fiquei pulando de alegria. Minha mãe ligou para família inteira para contar", diz.
A proporção da felicidade da menina é compatível ao desafio que ela teve que enfrentar. A olimpíada foi realizada em duas fases, uma em abril e a outra em junho. Em cada uma delas os estudantes tinham que responder 30 questões de história, português, geografia, inglês e matemática.
Segundo Silvia Bertolaccini Pallotta, coordenadora pedagógica da Escola Guedes de Azevedo, onde Luiza estuda, a dificuldade das perguntas aumenta a cada fase e a prova já segue as novas propostas pedagógicas do Ministério da Educação. "São questões dentro dessa nova proposta pedagógica mais contextualizada e interdisciplinar que já é seguida pela Rede Pitágoras há algum tempo", comenta.
O diretor do colégio, Roberto Pallotta, frisa que a conquista da menina é motivo de orgulho e estímulo para os colegas de classe. "A gente fica muito contente com esse desempenho. E o mais interessante é que motiva os demais estudantes a se esforçarem", pondera.
De acordo com Luiza, sua vitória não foi surpresa para os colegas de classe. "Eles disseram que já sabiam que eu ia ganhar porque eu e a minha amiga somos as mais inteligentes da sala. Ela não tinha ido tão bem e eu estudei bastante", conta.
Embora ainda não saiba o que vai ser quando crescer, a menina garante que adora estudar e dá a receita para os que querem conquistar prêmios como ela, que ganhou uma máquina digital. "Para se dar bem tem que estudar em casa fazendo tarefa e também na escola, porque se você não prestar atenção na aula não adianta nada", aconselha.
As provas da Olimpíada do Conhecimento da Rede de Ensino Pitágoras foram feitas por alunos do 6º, 7º, 8º e 9º anos do ensino fundamental. Cada escola participante aplicou as provas em sua unidade e depois os resultados foram comparados com os dos demais alunos do Brasil. No total, 12 mil estudantes participaram do desafio competindo somente com alunos da mesma série.
Fonte: http://www.jcnet.com.br/busca/busca_detalhe2009.php?codigo=167186

"A verdadeira solidariedade começa onde não se espera nada em troca"
Os alunos do 5º ano B, da "Escola Guedes de Azevedo", estão de parabéns pela iniciativa de solidariedade com o projeto "Faça uma criança feliz", coordenado pelas professoras de Ética.As arrecadações de roupas, brinquedos e alimentos contaram com a colaboração dos alunos dos 2º anos A e B, 3º e 4º anos B.O projeto foi um sucesso!!! Tudo o que foi arrecadado foi doado a Instituição "Casa da Criança".

"Luiza Simões competiu com 3 mil alunos do 6º ano de todo o País em evento realizado por uma rede particular de ensino."
A timidez e o nervosismo da pequena Luiza de Oliveira Simões não são suficientes para esconder toda sua vontade de aprender. Com apenas 11 anos, a menina conquistou o primeiro lugar na Olimpíada de Conhecimentos da Rede de Ensino Pitágoras. Ela competiu com 3 mil crianças do 6.º ano do ensino fundamental de 500 escolas espalhadas pelo Brasil e conseguiu ser a melhor.
Luiza conta que ficou muito ansiosa e nervosa na hora das provas e, por isso, acabou errando algumas respostas "por bobeira", mas nada que atrapalhasse seu resultado e a comemoração.
"Eu tinha ficado muito nervosa na hora da prova e depois, toda vez que eu lembrava dela, eu chorava achando que tinha ido mal. Mas aí, quando saiu o resultado, fiquei pulando de alegria. Minha mãe ligou para família inteira para contar", diz.
A proporção da felicidade da menina é compatível ao desafio que ela teve que enfrentar. A olimpíada foi realizada em duas fases, uma em abril e a outra em junho. Em cada uma delas os estudantes tinham que responder 30 questões de história, português, geografia, inglês e matemática.
Segundo Silvia Bertolaccini Pallotta, coordenadora pedagógica da Escola Guedes de Azevedo, onde Luiza estuda, a dificuldade das perguntas aumenta a cada fase e a prova já segue as novas propostas pedagógicas do Ministério da Educação. "São questões dentro dessa nova proposta pedagógica mais contextualizada e interdisciplinar que já é seguida pela Rede Pitágoras há algum tempo", comenta.
O diretor do colégio, Roberto Pallotta, frisa que a conquista da menina é motivo de orgulho e estímulo para os colegas de classe. "A gente fica muito contente com esse desempenho. E o mais interessante é que motiva os demais estudantes a se esforçarem", pondera.
De acordo com Luiza, sua vitória não foi surpresa para os colegas de classe. "Eles disseram que já sabiam que eu ia ganhar porque eu e a minha amiga somos as mais inteligentes da sala. Ela não tinha ido tão bem e eu estudei bastante", conta.
Embora ainda não saiba o que vai ser quando crescer, a menina garante que adora estudar e dá a receita para os que querem conquistar prêmios como ela, que ganhou uma máquina digital. "Para se dar bem tem que estudar em casa fazendo tarefa e também na escola, porque se você não prestar atenção na aula não adianta nada", aconselha.
As provas da Olimpíada do Conhecimento da Rede de Ensino Pitágoras foram feitas por alunos do 6º, 7º, 8º e 9º anos do ensino fundamental. Cada escola participante aplicou as provas em sua unidade e depois os resultados foram comparados com os dos demais alunos do Brasil. No total, 12 mil estudantes participaram do desafio competindo somente com alunos da mesma série.

 


Fonte: http://www.jcnet.com.br/busca/busca_detalhe2009.php?codigo=167186